Projeto Origens: Negros – Grupo Ubuntu

“O passado se faz presente rumo ao amanhã
Conhecer o passado para construir o futuro é muito mais que uma frase muitas vezes repetida. Constitui uma realidade em qualquer área do conhecimento, ainda mais na arte, onde somar experiências diversificadas é absolutamente essencial para uma transformação constante e enriquecedora.
O Projeto busca exatamente representar, na linguagem da cerâmica, a cultura dos povos que habitaram o litoral do Estado de São Paulo (negros, índios e caiçaras) para entender melhor como esse passado se manifesta no presente.
Para isso, em uma primeira etapa, o grupo Autodenominado Ubuntu Caraguá – Ceramistas realizou, um estudo da cultura africana trazida ao Brasil pelos escravos no período colonial.
O grupo teve como base informações disponíveis no Sitio Arqueológico São Francisco (Município de São Sebastião), um local onde culturas de diferentes povos africanos coexistiram, gerando uma cultura híbrida, muito presente na simbologia dos utensílios domésticos. Promove assim a reflexão sobre a relação entre arte e a história; e difunde e incentiva a manutenção do Sitio, um local onde o passado se faz presente rumo ao amanhã.
Nesta exposição estão reunidos alguns dos trabalhos do Projeto Origens – Negros”
Oscar D’Ambrosio, doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e mestre em Artes pelo Instituto de Artes da Unesp, integra a Associação Internacional de Críticos de Arte.

Perfil do Grupo

O Grupo Ubuntu é formado por ceramistas de Caraguatatuba,  Lu Chiata , Claudia Canova Passos, Ângela Nunes, Carlo Cury e Maria Pinheiro Zandoná . que além dos projetos pessoais,  desenvolvem projetos temáticos coletivos buscando o aprimoramento de conhecimentos na arte cerâmica, o compartilhamento destes saberes e a divulgação da produção em arte cerâmica de Caraguatatuba.

Peças da Exposição

Depois da exposição, as peças voltaram para os cuidados do grupo.

 

Página do grupo